Ju Sobral

Blog com informações, dicas e atualidades sobre a dança do ventre, Voltado para alunas, profissionais e curiosos

Thursday, August 18, 2016

Reflita: O quanto você admira seu/sua Professor (a) de Dança?

Enquanto eu fui aluna regular de Dança do Ventre eu era exemplar. Sem modéstia.
Não faltava.
Prestava atenção.
Estudava.
E mais: admirava meus professores.
Fazia aula não só porque gostava deles, mas também porque os tinha como espelho e inspiração para a construção de minha dança.
Cada movimento, cada passo, o modo como agiam, se colocavam no mercado e até mesmo de como se vestiam tinham grande influência sobre mim.
Na minha época não haviam redes sociais, então eu ficava de olho nos sites, ia a apresentações, olhava o mural da escola. Queria saber de tudo. Era interessada.
Ainda hoje, quando vou a workshops ou estudo com determinados profissionais, sou assim.
Se fui ao curso ou se marquei aulas com determinada pessoa é porque, acima de tudo, tenho o mesmo como referência.
Hoje, observo que as coisas mudaram...
A concorrência é muito maior, no que diz respeito a estilo, técnica, didática e por que não dizer: preço. Tem para todos os gostos.

Pergunta-se:
O que você procura no/na seu/sua Professor (a)?
Quais qualidades ele ou ela deve ter para que você se interesse não só no aprendizado, mas nele?
Que tipo de profissional te inspira?

Beijo

Ju
"A Aula de Dança" (1873-75)Edgar Degas                                                                                                                                                      Mais:
"A Aula de Dança" (1873-75) Edgar Degas



Tuesday, June 21, 2016

E na Bolsa, vai o que?




Ihhhhh...
Bolsa de mulher não é coisa desse mundo, mas bolsa de bailarina...

Em bolsa de mulher tem:
- carteira (gigante, com cartões de todos os tipos, documentos e papéizinhos de toda a ordem)
- chaves (de casa, do carro, da casa da mãe, da casa da sogra, etc...)
- batom (as vezes tem dois: um mate e um gloss)
- creme de mão (tem uns pequenininhos, de viagem, mas por que não carregar aquele enorrrme da Victoria Secret, né gente?)
- perfume (eu dou sempre uma retocada no cheiro se ficar muito tempo fora)
- absorvente (com abas, noturno, dia a dia, interno, tem de tudo)
- bala (um drops basta, tá?)
- celular (ainda bem que eles diminuíram de tamanho...)
- carregador (e o medo de ficar sem contato com o mundo?)
- bloquinho de anotações ou agenda (para anotar telefone, endereço, email, etc... - celular para que né?)
- canetas (uma para escrever e outra para grifar).
- um remedinho (para dor de cabeça, para cólica, anti-concepcional)
- óculos de sol
- óculos de grau ou lentes e soro fisiológico


Em bolsa de bailarina tem: TUDO O QUE TEM NA BOLSA DE MULHER +:
- lenço de quadril (leia mais aqui:)
- véu de seda (as vezes mais de um)
- snujs (SIM! Não ocupa espaço e você nunca sabe quando vai precisar)
- uma necessaire de maquiagem: (rímel, lápis preto ou kajal, blush, bb cream ou base, pó compacto, e todo o kit de pincéis)
- lenços umedecidos (um para os pés e um para remover maquiagem)
- ipod, ipad, mp3, cd ou qualquer um desses para ouvir as músicas
- caderno de anotações (esse é o da aula)

Essa bolsa é aquela do nosso dia a dia, aquela usada para dar aula ou para fazer aula.
*Você pode me ajudar escrevendo mais alguma coisa - eu confesso que ficarei espantada

Agora, se você for da aula para um show a bolsa tem: TUDO QUE TEM ACIMA +:
- figurino (as vezes tem que levar dois)
- sapato (SIM! dependendo do lugar tem que dançar de sapato)
- uma troca de roupa (depois do show é muito comum ou ficar no lugar ou dar uma esticada - se prepare para tudo - mais para frente vou falar sobre isso ou por que você não deve levar calça legging nessas ocasiões)
- abay ou capa (não é legal ficar desfilando de figurino entre os convidados ou clientes do local, sabia?)
- MAIS MAQUIAGEM!
- uma necessaire de bijus (brincos, pulseiras, anéis, colares, e toda sorte de bugigangas imagináveis)
- alfinetes, para a roupa não cair né amiga?
- kit de costura (só para pessoas aptas, o que não é meu caso).

Lógico que isso tudo pode se transformar numa mala, mas eu mesma já enfiei tudo numa única bolsa, então...

Nem vou falar aqui da parafernália de acessórios que levamos: espada, bastão, mais véu, véu wings, etc..



*Eu escolhi essa imagem porque achei a mais próxima do meu estilo, mas essa fotógrafa, Sarah Benton, fez um trabalho incrível fotografando só o que tinha dentro das bolsas das mulheres, confere aqui: In Her Handbag e veja se não se identifica com alguma



Podíamos fazer uma série só de bailarinas né????

Beijo

Ju

Tuesday, June 14, 2016

O Jardim das Belezas



Era uma vez...


Um Jardim lindo, cheio de flores de todos os tipos, árvores grandiosas, árvores frutíferas (todas muito carnudas e coloridas), grama fresca, plantas verdinhas e muito vivas.
Esse Jardim tinha Jardineiras muito cuidadosas, que regavam todos os dias as belas plantas que adornavam sua beleza.
Mas haviam também Jardineiros que de vez em quando vinham para ajudar nesse cuidado. 
Certa vez, a Jardineira chefe, ordenou que mais Jardineiros fossem ao lindo Jardim para auxiliar no cultivo das plantas.
O Jardim foi ficando cada vez mais formoso, era um colírio aos olhos...
E assim, cada Jardineiro ficou incumbido de determinada parte do Jardim. O trabalho foi dividido de forma que todos pudessem realizar o trabalho com maestria.
Conforme o trabalho rendia, aquele que tivesse o pedaço do Jardim mais bonito ia ganhando notoriedade, ia ganhando outros espaços, tinha reconhecimento.
Acontece que, nem todos os Jardineiros tinham a mesma habilidade com as plantas. Assim, haviam espaços no Jardim que tinham mais flores ou frutos que outros.
E da mesma forma, os que não eram hábeis, acabavam sendo esquecidos e nada reconhecidos.
E assim foi passando o tempo...
Certa vez, ao entrar no local de rega, um Jardineiro notou que as orquídeas que havia cultivado com tanto carinho e amor, estavam quebradas.
Notou também que o pé de jabuticaba estava com frutas faltando.
Sem falar da samambaia estava murcha, murcha...
Aquilo lhe causou uma tristeza tão grande que sequer conseguiu trabalhar nas outras plantas e foi embora.
Voltou no outro dia e ao passar por entre as rosas, o comigo-ninguém-pode e a macieira de seu Jardineiro vizinho, notou que haviam orquídeas e samambaias na macieira dele!
Perguntou então:

- Vizinho Jardineiro, eu não sabia que você tinha essas plantas no seu Jardim. Desde quando elas estão ai?

- Poxa vizinho, sabe que não sei como elas vieram parar aqui? Aceita um biscoito com geléia de jabuticaba que acabei de fazer?


Fim.
Enchanted forest:

Thursday, June 02, 2016

Pensamento do Mês

"A inspiração que você procura já está dentro de você.
Fique em silêncio e escute."

Rumi*

DIY Decoração: Posters para imprimir:



*Rumi (1207-1273) foi um poeta e mestre espiritual persa do século XIII. Seus poemas adquiriram grande popularidade principalmente entre os persas do Afeganistão, Irã e Tajiquistão

Tuesday, May 31, 2016

Por que a aula fica chata?

Oie!!


Sabe aquela preguiça de ir para a aula?
Notou que começa a dar desculpas das mais esfarrapadas para não ir?
"Está chovendo"
"Está muito calor"
"Está muito frio"
"Estou com cólica"
"Tenho reunião de trabalho"
"Vou acordar cedo amanhã"
"Peguei muito trânsito"
Está certo. Algumas vezes pode até ser verdade. Mas todas as vezes?
Observe se está utilizando essas saídas para fugir da aula. Faz quantas semanas que você não vai?

Dai você pensa: poxa, eu gostava tanto. Tinha tanta vontade de aprender. Perdi o tesão....

O que pode ter acontecido?
Vou te dar alguns possíveis motivos:
1 - A modalidade não era o que eu esperava - Tudo bem. Ninguém é obrigado a gostar de nada. Se você se dá melhor assistindo do que fazendo, tudo certo.
2 - Não estou gostando da turma. - Que tal chegar na Professora e dizer o que está acontecendo? Se não conseguir resolver na turma, talvez ela tenha outras opções de horários para você, né?
3 - A didática é maçante. Muito repetitiva. - Aqui vou me aprofundar um tiquinho:

De uns tempos para cá, as aulas de dança do ventre sofreram modificações até mesmo para acompanhar a dança, propriamente dita, que se modernizou e sofre influências de outros estilos (sim! admitamos!).

No entanto, noto que, enquanto nos primórdios, a aula era aquele copia e cola, aquele chega e vai dançando, onde as alunas iam vestidas com figurinos, etc., hoje, a aula virou algo extremamente técnico, frio, chato mesmo. É do 8 ao 80.

A técnica para o movimento é de suma importância para a realização do mesmo.
Mas existem maneiras de usar técnica sem ser mala.
Usar nomenclaturas complexas, nomes esquisitos e termos que nenhum leigo vai entender só distancia o professor do aluno.
Não há nada de errado em começar pelo lúdico (sabe Educação Infantil?) e ir aos poucos inserindo a aluno (o) nesse universo novo.
Agora, verdade seja dita: é preciso de treino e repetição para que o movimento saia bem feito. Não existe segredo.
Não quer que a (o) Professor (a) fique repetindo toda a aula, estude em casa mais vezes. Facilita.

Há momentos no estudo que as coisas ficam mais difíceis mesmo. Como qualquer estudo.
Seja porque você tem mais dificuldade, seja porque não goste mesmo.
Garanto: passa.

Outra coisa para você Professor (a): se a aluna (o) avançou, deixe-a (o) ir! Prender aluna (o) na turma vai desmotivá-la (o).

Beijo e até mais


for all the emotionally empty places that seem overwhelmingly social - Jenny Yu.:






Thursday, May 05, 2016

E o lencinho de quadril?

Oie!


Qual a primeira pergunta alunas(os) fazem ao começar a frequentar aula de dança do ventre?
Precisa usar lenço de quadril?
Eu respondo: não.
Mas por que usam?
Eu diria que o lencinho de quadril é um acessório que define, mais do que qualquer outro, o "uniforme" da aula de dança do ventre.
Quando uma pessoa coloca o "carão" na janela para ver o que está rolando e vê pessoas de macacão/legging e o lenço amarrado na cintura, logo solta: Ah, é aula de dança do ventre (mesmo que a música não seja).
Além disso, ele marca o nosso principal local de "trabalho" - o quadril.
Eu particularmente, uso o lenço sem moedas ou pingentes. Mas isso é gosto. Eu costumo usar lenços com tecidos mais leves e até mesmo algum véu que já esteja mais surrado.
Hoje, no mercado, você encontra lenços de tudo quanto é tipo: com moeda, de crochê, de seda, com miçangas, com fuxicos, etc...
E também uma variedade de marcas e fornecedores.
Outro ponto importante é que os lenços não são utilizados somente em sala de aula. Você vai vê-los também no estilo Baladi, por exemplo. Quer ver?


*Eu amo o trabalho da Marta Korzun! Quando tiver um tempinho vai fuçar.

Fica tranquila(o), com o tempo você vai querer ter uma coleção deles!

Beijo e até mais!

Ju







Monday, May 02, 2016

Pensamento do Mês

"Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pareça, sou grato a esses professores."
Khalil Gibran *



*Gibran Kahlil Gibran (1883 - 1931) foi um célebre escritor libanês que fez carreira nos EUA, escrevendo diversos livros em árabe e em inglês. Também se dedicou ao mundo das artes, expondo suas obras em Boston, NY e Paris.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...